sábado, 21 de abril de 2012

Conhecendo Every Avenue (através dos meus pensamentos).

Por mais que eu tente, que busque lá nos arquivos mais antigos da minha memória, ainda assim, não sou capaz de me lembrar onde escutei Every Avenue pela primeira vez. Eu sei em que época foi, e ligando um fio ao outro, possivelmente os encontrei em alguma Fic, Fake, ou em uma noite de tédio vasculhando bandas no youtube. O que me leva de volta a 2010, ano em que eu ouvia compulsivamente Between you and I (minha favorita deles até hoje), e se eu não me engano, a primeira que escutei dessa banda. Ô musiquinha mais deliciosa. Ela tem tudo que uma canção precisa ter para entrar na minha lista de "favoritas". Tem piano, voz melosa, e som de vento. Bom, pelo menos é com isso que eu consigo assemelhar a melodia. Sem contar as incríveis batidas que se parecem muito com a de um coração pulsando. Com tudo isso junto, ela se tornou perfeita aos ouvidos carregados de sentimentalismo, da Laís. Uma vez que, além de linda, me faz lembrar do terceiro colegial inteiro,  e das coisas que aconteceram naquele ano. Sabe como é, trilha sonora... Trilha sonora... Nós precisamos delas! Every Avenue foi, em muitos momentos, a minha. O fundinho musical dos sorrisos, das tardes no lago, dos amores frustrados, e das amizades passadas. De motivo em motivo, eu encontro milhares que me fazem gostar tanto deles. É aquele tipo de banda que consegue ser dramática e divertida, ao mesmo tempo. Se uma canção é totalmente triste, e te faz pensar em cortas os pulsos, a outra, por sua vez, te faz querer pular e dar risada sem motivo algum. Eu já gargalhei escutando I Forgive You sozinha, no meu quarto. Sério mesmo. E olha, no dia em que isso aconteceu, eu tinha realmente motivos para chorar, mas a música não deixou. Ela me deu um empurrãozinho e disse "vai ser feliz, vai". Daí que eu percebi o quanto eu tinha em comum com as músicas deles. Triste-feliz, triste-feliz, triste-feliz, e várias doses de nostalgia (é só ler as traduções).  Depois, bem depois, eu criei um amorzinho louco por Think of you later, e hoje ela é tão marcante pra mim quanto Between you and I. Também é cheia de história, e uma vez eu até me submeti a escrever sobre seu clipe. É o tipo de canção que trata um termino de um jeito tranquilo, leve, e como se não houvesse mesmo um final. Como se fosse só um "te vejo mais tarde... penso em você mais tarde...". Um depois que nunca chega mas, pelo menos, nunca acaba. Se é que faz algum sentido? E por fim, tem outras canções que eu gosto e recomendo, como: Trading Heartbeats, Take Me  Home Tonight, Girl Like That, Tell Me I'm a Wreck, The Story Left Untold, e algumas do último CD, Fall ApartNo One But You, Hit Me Where It Hurts The Most. Vale a pena ouvir!



4 comentários:

Valquíria disse...

Não conhecia, bem diferente.
Não sei se minha vida tem trilha sonora kkkkkkkk
Bjos!
amonailart.blogspot.com

Roberta Galdino disse...

nem me fale em estar vulnerável .. estou assim numa totalidade! rsrs
orbigada pela visita, estou seguindo-te

Bia Hain disse...

Oi, Passei para retribuir a visita, seu blog é adorável. Um abraço!

Bia Hain disse...

Oi, Passei para retribuir a visita, seu blog é adorável. Um abraço!