domingo, 17 de junho de 2012

Biblioteca, part1.

Quarta-feira costuma ser o dia mais flexível na escola de Samanta. As quatro aulas, do período todo, são da mesma matéria. E diga-se de passagem, não é aquela matéria que faz seus cabelos ficarem brancos de tanta preocupação. É quase mamão com açúcar. Quase. Porque bem, vejamos, ainda que não tenha provas dessa matéria, os alunos precisam entregar todos os trabalhos se quiserem ficar com nota azul, e olha, não são trabalhos tão simples assim. Samanta entendia bem essa situação, e nunca deixou de entregar nada. Além do mais, era rápida e quase sempre terminava o que tinha pra fazer nas duas primeiras aulas, ficando livre nas duas últimas.

Naquela noite não foi diferente. O trabalho a ser feito era até bem fácil, alguns cliques de criatividade, e umas escolhas de qual imagem usar, qual fonte, e lá estava, pronto antes mesmo do intervalo começar. Dessa forma, depois de entregar o resultado para o professor, a garota já estava livre para dar uma volta pelos corredores.

- Ei - acenou para Rafael assim que saiu pela porta da sala.
- Já acabou? - ele perguntou.
- Sim - respondeu, dando longos passos até o garoto - Tá afim de ir comigo lá embaixo? Preciso procurar Nicollas.
- Eu também quero falar com ele - revelou, já andando ao lado dela.
Desceram o pouco de escada que restava e viraram a direita, em direção a biblioteca. Assim que entraram viram Nick escorado no balcão, e Samanta se aproximou do amigo dando-lhe um soco de leve no ombro.
- Aqui está! - disse, recebendo um sorriso do outro em troca - O quê você tá fazendo?
- Meu grupo tá ali, em uma das mesas, estudando pra prova - ele respondeu.
- Ah... - Samanta analisou o lugar. Estava cheio. Era impressionante como aquilo se enchia em vésperas de provas finais. Pobres almas desesperadas. Não que a dela estivesse muito tranquila, mas enfim, se submeter a  horas de estudo na biblioteca não fazia nenhum pouco seu perfil.

Ajeitou a blusa, fechando os dois botões de cima, e olhou para os amigos que conversavam sobre algum assunto que ela não entendia. Paralela, desviou o olhar para a mesa a sua frente, onde dois garotos mantinham a atenção sob o monte de livros espalhados ali. Samanta conhecia um deles. Quer dizer, conhecia implica intimidade demais. Na verdade, ela havia visto-o algumas vezes pelos corredores, mas tinha o rosto dele gravado na memória.
- É melhor abrir os botões da blusa se quiser que ele note você - Rafael disse, percebendo que ela encarava o garoto sentado.
- Não seja besta! - grunhiu ela, dando um olhar fuzilante para o amigo - Ele não me notaria de forma alguma, e eu não faria isso. Enfim, não importa. Eu vou subir e pegar meu material. Você me espera aqui?
- Pra quê? - Rafa perguntou.
- Vamos estudar! Fica aí com o Nicollas que eu já volto.

Subiu os degraus apressada até chegar em sua sala e encontrar Alana, a melhor amiga que poderia ter naquele lugar. Sorriu para ela, e puxou uma cadeira, sentando-se.
- Acabou seu trabalho? - Sammy perguntou.
- Já, por que?
- Vamos estudar estatística. Tem prova amanhã.
- Claro, vamos - Alana desligou a tela do computador, e abriu seu caderno.
- Não, não aqui. Vamos estudar na biblioteca - Samanta afirmou, levantando-se.
- Por que tem que ser na biblioteca? - a outra perguntou, arqueando uma das sobrancelhas.
- Porque sim, oras. Lá é lugar de estudo - O que era totalmente verdade. Certo?
- Quem está lá, Samanta? - ela perguntou enquanto andava ao lado da amiga pelo corredor.
- Ninguém... Para com isso! - Sammy deu risada, olhando para o chão.
- Você tem a matéria?
- Tenho. Quer dizer, mais ou menos, anotei algumas coisas aqui - Samanta segurava seu pequeno caderno em uma das mãos - Sabe, ele tá lindo hoje - lembrou-se do menino que vira alguns segundos atrás.
- Eu sabia! Eu sabia! Ele tá na biblioteca, não é? Você é tão previsível - Alana riu, depois de exaltar o quão esperta ela era.
- Eu não disse que ele estava lá. Eu disse que ele está lindo hoje. E anda, vamos logo!
Será que ela era mesmo tão previsível? Não, não, com certeza não. Ela só estava unindo o útil ao agradável. Afinal, qual o problema nisso?

Ps: continua. 
Tentei não deixar tão grande, mas como sempre, fail. Então, dividi em duas partes, pelo menos.


11 comentários:

Bia Hain disse...

Oi, Laís, gosto de histórias contadas por partes, deixam sempre uma certa curiosidade no ar. Às vezes penso nisso, será que sou previsível? Não acho isso muito legal. Um abraço!

Gisa disse...

Gosto do teu estilo e fico.
Obrigada por tuas palavras e presença por lá. Volta sempre que quiseres.
Um grande bj

Charlie disse...

É impossível vir aqui e querer sair, é sempre tão lindo. A Samanta já é mais uma das personagens que eu adoro, mal posso esperar pra ver como isso acaba *-*

Michele B. disse...

oi,
otimo texto
gostei do seu estilo!

http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/

bjos

silvioafonso disse...

.



Laís,
Eu tenho um selo referente aos
1000 seguidores da minha pági-
na e como você faz parte desse
sucesso, ele é seu de direito e
de fato.

Um beijo do,

Palhaço Poeta






.

Paula Lima disse...

Adorei, você escreve muito bem *o*
ficou muito bom!
xoxo
Curti aqui!
Cerejas Atrevidas

Nathalia Muniz disse...

Olá Laís, amei o comentário lá entrecartolasecafes :D sinto que seremos grandes companheiras de blog! kkk aah estou adorando a Samanta *-* quero ver logo como isso vai acabar!

Biia Rodrigues disse...

goste mto, acho que vai ser um conto bem legal =3
quando vai postar a segunda parte?
Beijos :*
http://pepperlipstick.blogspot.com.br

Rogerio Rinaldi disse...

Adoramos o seu blog,é maravilhoso e sempre estamos por aqui conferindo todas as novidades.
Desejamos a vc uma ótima quarta feira.
Super beijos da Glorinha.
http://sbrincos.blogspot.com.br
Estamos com a campanha Google +1 e contamos com a sua participação

Dayane disse...

Adorei essa historia :D
fiquei com um gostinho de quero mais rs
Nao demore para postar a outra parte em ^^
bjinhos
http://conversando-com-a-lua.blogspot.com.br/

Diego França disse...

Oii Laís. Tudo bem? Adorei seu blog e te digo: histórias contadas em partes instiga muito - pelo menos a mim. Não se limita a contar histórias pequenas para caber a um só post, escreve com todos os detalhes que você achar que deve.
Tô curtindo a história... Quero mais! =D

Bjux