domingo, 24 de março de 2013

Você deveria ter estado aqui...


...e eu teria ficado tão feliz.

Com as duas mãos apoiadas na ponta da mesa, o corpo inclinado para frente, soprei todas as velinhas cor-de-rosa pensando em tudo que eu gostaria de ter em um futuro não tão distante. Pensei em você também. Então, subi os olhos para encontrar meu melhor amigo e disse baixinho: cante o "com quem será" e use o nome dele...

E agora, posso voltar no tempo, parar nessa cena, e me dar uns dez tapas na cara? Quanta ingenuidade! Quanto desperdício, Menina... Tanto nome no mundo e você não poderia ter escolhido um alheatório? Não poderia ter sido o nome do seu paquerinha da quinta série? Ele era tão engraçado, tinha pinta de galã das oito. E você, de mocinha. Teriam formado um belo casal... Casal. Casar.

"Com quem será que ela vai se casar? Vai depender... vai depender..."

Deus do céu, vou morrer solteirona se for assim! Eu devia mesmo ter usado outro sujeito. Por que cheguei a pensar que esse cara, o do tal nome pronunciado, casaria comigo? Não. Ele nem estava ali quando deveria estar. Quando eu tinha pedido tanto para que estivesse... Inventou uma desculpa qualquer. "Não dava, não dava". Mas é claro que não dava... Como daria se ele nem ao menos tentou?

Burrice.

Eu só deveria ter assoprado as velinhas e pronto. Sem "com quem será...". Isso é tão infantil, mas parece que não perco a esperança. Sempre acho que no dia do nosso aniversário é tudo mágico, que os pedidos feitos ali, diante do fogo, têm mais chances de se tornar reais.

Não é verdade. Ele não estava lá pra ganhar o primeiro pedaço do bolo de chocolate. E se não estava nem no meu aniversário, era capaz de não estar no nosso próprio casamento. Eu não duvido nada.

De qualquer forma, ele foi embora para sempre.
E agora, não vai estar em lugar nenhum.


7 comentários:

Jones disse...

Às vezes, não perdemos a esperança porque tem algo ou alguém que nos faz pensar que valeria a pena se acontecesse. Têm momentos que chega até a acontecer e nos sentimos realizados, cheios de felicidade. Mas, em outras horas, nada do que foi planejado dá certo... Engraçado, mas meu último texto tem um pouco a ver com isso, com coisas que não dependem somente de nós. ;]

Esse texto seu me fez pensar muito durante a leitura..
Boa tarde, Laís. :]
Bom domingo!

Jones disse...

:)
Vi seu recado agora. É certo que não depende somente de nós e que isso não elimina de nós a lembrança das coisas que nos fizeram meio que decepcionar, mas vamos agindo pra que as coisas boas deem certo.. Pois, não depende só de nós, mas depende inclusive de nós. Nossas ações ressoam na vida das outras pessoas também.. ;]
Até!

Mateus Medina disse...

Às vezes é bom que se vá embora. Embora, pra sempre seja tempo demais...

Às vezes, só depois que alguém se vai é que damos conta das coisas ao nosso lado...

bjos

Letícia Giraldelli disse...

É sempre assim. A gente sabe que não deveria nem se quer pensar na pessoa. Mas chega um momento que dá um estalo e em quem a gente pensa? Justo em que não nos merece.
Força e fé amiga, a gente passa por essa! haha

beijos

Nina disse...

Que assim seja. Certas pessoas não nos merecem. Tenhamos amor próprio para reconsiderar apelos e seguir em frente. É o mínimo que podemos fazer por nós mesmas.
Abraços.

Beatriz Flores disse...

A vida foi feita pra se sentir, para viver tudo intensamente e você provavelmente já chorou, já se irritou, odiou, passou por muita coisa por esse garoto. Mas, isso tudo passa. E já ta na hora de você levantar, olha pela janela e ver o lindo dia que está lá fora (mesmo que esteja chovendo, porque até a chuva tem a sua beleza, basta você querer ver) e ser feliz. Acorda, se ele não está ai pra você, se ele nem foi no seu aniversário, porque você está sofrendo? De fato, ele não te merece, todos nós já sabemos. Mas, falta a sua atitude de mudar tudo isso. Chorar, ficar em casa comendo chocolate não vai adiantar nada. Pelo contrário.
Enfim, esse é meu concelho. Desculpe-me pela minha intromissão, mas não aguento ver ninguém sofrendo.

Beijos e bom passeio lá fora, fora de casa.

Yatap Kátia Patrícia disse...

Uma situação bem chata essa,
mas acho que as coisas aconteceram como deviam ter acontecido...

Daqui um tempo a gente olha pro passado e diz, relmente, não era pra ser...
Abraço!

relicariodasrafleur.blogspot.com.br